terça-feira, 30 de novembro de 2010

Talento

O talento tem origem na tua essência.

É aquilo que fazes com naturalidade, pois estás em fluxo com o teu eu mais elevado. Fazes sem esforço, pois é algo que te dá prazer. E quando dás uso ao teu talento o tempo parece-te que voa, tal a ligação ao momento em que estás ocupado.

Esta é uma forma de estares conectado com a tua essência, usando os teus talentos.
Se ainda não conheces quais são os teus talentos, pois todos temos talento, faz o seguinte exercício:
Numa folha escreve, sem te preocupares em analisar o que vais escrevendo, tudo aquilo que gostas de fazer. Tudo aquilo que te dá prazer e que fazes sem que te peçam. Tens concerteza situações em que estavas ocupado a fazer algo que te satisfazia que nem destes pelo tempo a passar. Dedica 20 minutos a este exercício. Depois de terminar então sim podes analisar o que escrevestes irás obter uma ideia dos teus talentos. E podes dedicar algum do teu tempo a desenvolver os teus talentos.

Estando focado em cada momento estás mais próximo da tua essência e tudo o que fazes estando conectado, irá fluir. E verás ampliado os teus recursos, pois possuis capacidades ilimitadas, apenas se encontram inconscientes para ti nesta dimensão.

A vida que tens é um presente, ela é feita de um equilibrio perfeito, ainda que não te pareça assim.Isso só acontece por não teres uma perspectiva do todo, mas o teu eu mais elevado tem essa perspectiva. Tudo o que acontece na tua vida, acontece por um motivo pois não há coincidências e quanto mais confiares na tua intuição mais perto estarás dessa perspectiva elevado do teu Ser.

Confia em ti e nas tuas capacidades e tem a certeza que aconteça o que acontecer na tua vida nesta dimensão, estás preparado para fazer face a esses acontecimentos. Eles servem para ampliares a consciência de ti.

Como seres energéticos, temos uma frequência vibracional, o que aparenta ser matéria é uma vibração mais densa de energia, pois a um nível sub-atómico é maioritáriamente espaço. Podes elevar a tua frequência vibracional através dos teus pensamentos aliados à emoção. Tudo aquilo que vivenciares desta forma, mesmo que não o coloques em prática nesta dimensão, é real para o Universo. É assim que podes co-criar a tua realidade, começando por a vivenciar na tua mente e depois vê-la manifestada na tua realidade.

A realidade é um espelho do teu interior, assim tudo o que passa no teu interior tem reflexo na exterior. Logo todas as mudanças que desejas tem ínicio dentro de ti, é ai que tudo tem origem.

Assume as rédeas da tua vida e dá uso ao teu poder criador, desde que alinhado com a tua essência, não há impossíveis para ti. Apenas aqueles que te imposeres a ti próprio.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Poder Pessoal

Está na hora de assumir o seu poder pessoal.

Sim, é verdade.

Voçê tem um poder que reside no seu interior e está ai à espera que olhe para ele e lhe dê uso.
Seja qual for a sua situação actual, fique a saber que a pode alterar. Primeiro tome consciência que tudo o que acontece na sua realidade tem origem em si, a realidade espelha o seu interior. Claro que a maior parte das situações tem origem a um nível que é inconsciente para si.Mas tudo o que acontece tem como propósito que desperte a sua consciência e entre em contacto com a sua essência.

Você é um co-criador, tudo aquilo em que foque a sua atenção deliberada, acabará por se tornar manifesta na sua realidade. Os seus pensamentos aliados à emoção são a origem da sua vida experenciada.

Faça um pequeno exercício, de preferência escreva numa folha, e veja aquilo em que ocupa mais a sua atenção.
O que é que ocupa mais a sua mente?

Quais são os pensamentos que costuma a ter sobre as pessoas ao seu redor, principalmente aquelas que convive diáriamente?

São eles maioritáriamente positivos ou são depreciativos?

Repara mais naquilo que lhe desagrada nos outros ou no que lhe agrada?

Quando vê alguém a obter algo que também gostaria de ter, qual é a sua reacção?Fica contente ou não?

Responda com sinceridade, mais ninguém precisa de conhecer as respostas. Irá ter uma noção do tipo de pensamentos que mais ocupam a sua atenção. Terá uma noção da origem da sua situação actual. Pois se não está satisfeito, significa que os pensamentos negativos são os que mais ocupam o seu tempo mental.
A boa notícia é que pode a qualquer momento decidir mudar tudo isso. E começar a criar tudo aquilo que deseja, começando primeiro por decidir aquilo em que vai colocar a sua atenção.

Como regra de ouro lembro-lhe que aquilo que der recebe de volta multiplicado.

Quanto mais der de uma forma desinteressada, maiores serão os resultados que irá observar.

Assim como manifestar gratidão pelo que é e por tudo o que já alcançou até aqui. Estando grato e emitindo esse estado de espírito estará a atrair mais situações para estar grato. É um crescimento exponencial.

Para finalizar digo-lhe não acredite em nada do que lhe disse até aqui. Experimente por si e veja os resultados que obtém, para tirar as suas conclusões.
Pode sempre contar com alguém dando-lhe apoio e incentivo.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Religião

Religião é uma palavra que na sua origem em latim significa religar, ligar de novo.
E aqui a função das várias religiões como as conhecemos, seria voltar a ligar os seus fiéis a Deus. Seriam os intermediários dos humanos com Deus, e as religiões tiveram ao longo da sua existência um papel importante para muitas pessoas, e ainda tem hoje em dia, na sua ligação e sentido de fé num ente superior. Para aquelas pessoas que se sentem bem no seio destas religiões, devem continuar a fazê-lo, não sendo de escamotear a possibilidade cada vez mais consciente de que os intermediários não são absolutamente necessários.

Para todos aqueles que não professam nenhuma religião, ou sendo criados numa determinada religião não são praticantes, o que acontece cada vez mais hoje em dia, fiquem a ter consciência que essa religação a Deus, ou outro nome que queira dar, é possivel por si próprios.

Na realidade nunca deixamos de estar ligados, na nossa essência somos unos, a unicidade é o estado natural do nosso Ser.
Digamos que nesta dimensão vivemos num estado de dualidade ilusória, onde tudo tem de ser preto ou branco, masculino ou feminino, yin e yang, bem ou mal, céu ou inferno,etc.

Sendo isso tudo as duas faces da mesma moeda, friso a mesma moeda.

Nesta dimensão temos o nosso lado sombra e o nosso lado de luz. e será mais forte e dominante aquele que alimentarmos com a nossa atenção, pensamentos, emoções e acções. Normalmente tendemos a valorizar o nosso lado de luz e tentamos esconder e aprisionar o lado sombra, mas quando isso acontece, ele irá surgir na nossa realidade quando menos esperamos.Sabotando as nossas acções, dai surgindo todas as dificuldades. Até que lhe prestemos atenção e o saibamos integrar no todo que somos.

Se só valorizarmos um dos polos estaremos em desiquilibrio e a nossa realidade espelhará isso mesmo. Assim o objectivo é atingir o ponto de equilibrio, ou ponto zero, onde estão integradas todas as nossas energias e polaridades. Onde tudo está como deve estar e estamos em fluxo com a nossa essência e totalmente ligados a Deus e percebemos a perfeição da sua criação.

Para atingir o ponto de equilibrio só vivendo o momento presente, estando focado no agora em pleno. Estando consciente das emoções e pensamentos que perspassam todo o Ser, sem contudo se identificarem e entregarem a eles.Percebendo-se como observadores e criadores da sua realidade experimentada.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Bode espiatório

A tua vida actual está de acordo com o que desejas?

Se a resposta é negativa, de quem achas que é a culpa?São as pessoas que vivem contigo, ou talvez da tua família que não te apoia o suficiente.Será culpa dos teus colegas e patrões, que estão sempre a sabotar o teu sucesso. Ou então é o dinheiro, ou melhor a falta dele que te impede de seres a pessoa mais feliz do mundo. Pode mesmo ser a crise ou o governo, os principais responsáveis por estares como estás. Nestas condições não podes evoluir pois eles não deixam que o faças.

Tenho uma má e uma boa notícia para ti.

A má é que a culpa não é de nenhuma das situações ou pessoas acima referidas.A única pessoa responsável pela tua situação ÉS TU PRÓPRIA. É verdade.

A boa notícia é que não há culpa e tu podes mudar a situação, tens em ti todos os recursos para o fazer. Pode-te parecer que não, neste momento, consideras-te uma vítima das circunstâncias e não vislumbras que tenhas como sair da situação em que te encontras. Dúvidas que tenhas os recursos que te permitam criar a vida que tanto desejas, pois não é isso que a realidade te mostra neste momento. E assim é de facto enquanto acreditares que é assim e que estás condenada a resignar-te a essa situação, até porque há quem esteja pior do que tu.

Eu digo-te que podes escolher acreditar de outra forma. E aquilo em que acreditas, aquilo a que dedicares a tua atenção e foco, torna-se a tua realidade. Elevando a tua consciência encontrarás as soluções que iniciarão as mudanças em direcção da vida que desejas. Estabelece uma visão clara do que pretendes, define com clareza os objectivos que desejas alcançar e define um plano de acção para concretizar.

Fica a saber que não precisas de o fazer sozinha, se entenderes podes recorrer ao apoio de um Coach para te ajudar a definir com clareza os objectivos e os respectivos planos de acção, assim como para que te conectes com a tua essência e expandas a tua consciência. Acedendo ás respostas que existem no teu Ser.

Tudo isto só tem significado se o colocares em acção, se se ficar ao nível dos pensamentos não irás alterar nada. És a única responsável pela tua vida, assume as rédeas e age. Mesmo pequenos passos levar-te-ão a alcançar tudo o que desejas. Desafio-te a experimentares, não tens nada a perder.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Disponíbilidade

Quão disponível estás para ti própria?

Quanto tempo dedicas a conhecer-te verdadeiramente?

Estares disponível para ti e para a tua vida é essencial para que disfrutes em pleno.Enquanto delegares nos outros e nas circunstâncias exteriores o rumo da tua vida, o grau de insatisfação tenderá a ser crescente em ti.

Perceber que a realidade em que estás envolvida é um espelho do teu interior. E que na medida em que te encontres insatisfeita significa que estás em dissintonia com a tua essência. Tomando consciência disso é o primeiro passo para voltares a conectares com a tua essência.

E quanto mais estiveres presente em cada momento, focada em tudo o que faças e totalmente disponível para aproveitar cada momento, mais consciente te tornas.
E percebes que reside em ti todas as respostas que procuras, que possuis em ti todos os recursos para criares a vida que desejas.

Se estiveres disponível para aceitar a ajuda do universo, ele está ai para te apoiar. E ainda que desvies do teu caminho, ela estará ai esperando que te voltes a alinhar. Ele está sempre a enviar-te sinais para que despertes para a realidade da tua perfeição e essência de amor incondicional.
Mas depende apenas da tua vontade e da tua receptividade à mudança.

Começando por tomar consciência que não és os teus problemas e que deixando de te identificares com eles, assumindo uma posição de observadora dos mesmos terás uma perspectiva nova que te permitirá encontrar as soluções. Se te mantiveres no mesmo nível que criou esses problemas, não encontrarás as respostas adequadas à sua solução. Só num estado diferente daquele que originou os problemas encontrarás as respostas certas para essas situações.

Tudo isto sem resistência, ou seja, começa por aceitar a situação com os seus problemas, pois se resistires os problemas persistirão.Esta aceitação é que te permitirá entrares num estado diferente daquele que originou o problema. E então sim estarás pronta para encontrar as soluções mais adequadas.

Aceita estar disponível para viveres em pleno a tua vida.
Aqui e agora, pois é tudo que existe.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Gratidão

Faz desta a tua semana da Gratidão, começa por fazer uma lista com dez coisas pelas quais estejas grata. Ao dedicares a tua atenção a pensar em tudo aquilo pelo qual podes estar grata, irás perceber estas são numa quantidade que nem tinhas consciência.

E o melhor é que quanto mais te focares em tudo aquilo que te permite estar grata, os motivos para tal irão aumentando.

Aquilo em que te focas e em que dedicas a tua atenção aumenta exponencialmente.

Estar grata pela vida que preenche o teu corpo, grata pelo ar que respiras e que insufla a tua vida.Grata pelo amor incondicional, pela luz, pela paz que fazem parte da tua essência.
Grata pela oportunidade de estares a passar por esta experiência humana e poderes viver todo o campo de emoções que o ser humana pode sentir. Grata pela felicidade que é a tua natureza.

A gratidão é um estado que te dá serenidade e conecta-te com a tua essência. Leva-te a um estado de envolvimento com o mais elevado do teu Ser.
E começas a perceber o teu propósito de vida, aquilo que te faz mover, que faz com que te sintas realizada.

Vive a tua vida intensamente a cada momento, se estiveres presente no Agora as situações pelas quais estarás grata, afloram à tua consciência. A começar pelas mais simples como o sorriso de um bom dia dado pelos que amas.

Em seguida preenche neste espaço a tua lista de gratidão:
1 -
2 -
3 -
4 -
5 -
6 -
7 -
8 -
9 -
10-

E revê todos os dias a tua lista e se quiseres vai aumentando a tua lista.
Quando ao longo do dia as situações em que te vejas envolvida não sejam do teu agrado, aproveita e lê de novo a tua lista e verás como suavisa a tua situação.
Partilha esta ideia de semana de gratidão. Qualquer um pode fazer a sua semana de gratidão e começar quando entender.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Dar o exemplo

Todos temos ideias sobre como gostariamos que as coisas acontecessem.E normalmente quando vemos situações que nós fariamos de forma diferente, temos tendência a julgar e criticar essas situações.

Mas o mais importante é o nosso comportamento, aquilo que fazemos e como o fazemos.

Comportamento, gera comportamento.Não podemos esperar que outros façam aquilo que não estamos dispostos a fazer nós próprios. Em vez de nos preocuparmos com o que os outros fazem, devemos ter cuidado com o que fazemos.

O nosso exemplo é a melhor resposta face aos resultados que queremos obter. Tem de existir congruência entre aquilo dizemos e aquilo fazemos. Se o que fazemos vai contra tudo aquilo que costumamos pedir aos outros que façam. Isso só pode gerar como resultado frustação e confusão na nossa realidade.

Aquilo que a realidade nos vai demontrar é que estamos desconectados da nossa essência, dai a frustação, a sensação que precisamos que mudem as circunstâncias na nossa vida. Mas ficamos à espera que os outros mudem, culpamos os outros pelo facto da nossa vida não estar tal como gostariamos que estivesse. E essa sensação e espera só irá resultar em mais frustação.

De facto tudo começa em nós, é pela nossa acção que as coisas podem mudar.
Só quando assumirmos em pleno a responsabilidade da nossa vida e tormarmos consciência que somos co-criadores e que aquilo em que nos focamos torna-se a nossa realidade.
Assim comecemos por dar aos outros tudo aquilo que gostariamos de receber. Ou até mais, sempre que possível.

Em cada situação do nosso dia-a-dia se tivermos em mente em tratar os outros como gostamos de ser tratados, então de certeza que as coisas comecarão a fluir de acordo com a nossa essência.
E as mudanças que tanto desejamos tornam-se reais, nesta dimensão.

Podemos sempre contar com o apoio e o suporte do universo.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Padronização

Fala-se muito em felicidade, todos tem uma opinião sobre a felicidade.

Mas será que falamos da mesma coisa, quando falamos de felicidade?

Existe uma tendencia para padronizar a felicidade e vem da influência principalmente da proliferação dos meios de comunicação, e nomeadamente da indústria publicitária que ao serviço dos grandes interesses económicos cria uma imagem de felicidade que deve ser um objectivo para a população atingir.

É incutido um estilo de vida associada ao consumo e são definidos mesmo ao nível do aspecto físico, a forma como essa felicidade é representada.
São definidos padrões de beleza, que tornam muitos reféns desses padrões e que muitas vezes tem dificuldade em atingi-los.Gerando assim uma busca incessante para atingir tais padrões, mesmo à custa da saúde.

São exibidos objectos que se traduzem em estatus para quem os possuir e que apenas os seus proprietários serão felizes. Criando-se falsas necessidades que induzam o consumo.

E o que se verifica é que aqueles que possuem tais objectos não veem aumentada, senão temporáriamente os seus níveis de felicidade. E teem de continuar nesse ritmo de consumo desenfreado para voltar a ter esses breves momentos de felicidade. Vendo ainda aumentar a necessidade de aumentar cada vez mais o número ou o volume desses objectos.

Se cada um de nós fizer uma pausa e ficar apenas na companhia do seu Ser, irá verificar a ilusão que tudo isso representa.

Aumentando o seu auto-conhecimento irá redescobrir que de facto a felicidade genuína reside em si, é parte da sua essência, é o seu estado natural. E que independentemente do que se passar no seu exterior, essa essência feliz é imutável e eterna.

E tudo aquilo que lhe dizem precisar para ser feliz, de facto, é dispensável.

Tomando consciência de quem é, percebe que aceitando o que a realidade lhe presenteia verifica que esta não a define, nem a condiciona a não ser que assim o permita.

Vê que a felicidade não é um local, ou objectivo a atingir, mas sim algo que depende apenas da sua permissão para que se torne manifesta, pois já a possui. Que é a sua percepção que pode ou não torna-la manifesta na sua realidade.

E essa felicidade não é igual para todos, ela é intima de cada Ser. A forma como a irá viver nesta dimensão será diferente de acordo com a experiência que cada um de nós vem passar.
Sendo que na nossa essência somos todos um, somos diferentes partes de um mesmo todo.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Vivendo o momento presente

Viver o momento presente, estar focada em cada coisa que fazes é a receita para te re-conectares com a tua essência. Ela está ai, esperando que olhes para ela, que voltes a reencontrar-te contigo própria.

A tua vida tem sido monótona, parece-te que os dias são todos iguais e que nada se passa. Sentes que és apenas mais uma a ver passar a carruagem da vida. O bem estar e a alegria parecem que andam afastadas da tua realidade. Desejas ardentemente que ocorram mudanças, mas não vês como possam acontecer.

As mudanças que desejas tem sempre ínicio em ti, e não precisam de ser grandes mudanças.
Podes começar por mudar a tua atitude face á tua situação, o modo como precepcionas a tua realidade determina como te sentes nela.

Se tiveres uma atitude de resistência e descontentamento face à situação, estarás mais focada nesse sentimento do que em estar presente em cada momento. Só estando presente em cada momento poderás apreciar em toda a plenitude as coisas boas que lhe estão agregadas.

Enquanto estiver a resistir a uma situação não poderá estar verdadeiramente presente nesse momento. Dedique a sua atenção total a cada momento e aceite as coisas como elas são, sem julgamentos, sem ideias pré-concebidas.

Esteja livre para aceitar o que vem, entregue-se e deixe-se supreender.

Mudando a sua atitude de um estado de resistência para uma estado de apreciação e receptividade verá que tudo muda instantaneamente na sua percepção da realidade.
E verá como tudo estará como tem de estar e o que tiver de sair da sua vida sairá e tudo aquilo que tiver de entrar na sua vida, será recebido com inteira dedicação e atenção.

Aprecie a vida, momento a momento são todos importantes, pois são os seus momentos e constituem a sua experiência humana.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Treinar a Felicidade

Sim é possivel treinar a felicidade.
Através da prática tornas cada vez mais consciente em ti a felicidade que é parte da tua essência. Quanto mais focado em práticas felizes, mais a realidade irá espelhar esse estado de espírito. E as pessoas que fazem parte da sua vida também serão contagiadas e as mudanças que procura começarão a ganhar forma.
Temos um nível de felicidade consciente, ou seja, é o quanto percepcionamos a felicidade na nossa vida.
E esse nível sofre flutuações através de ocorrências externas, que julgamos como independentes de nós próprios. Existem estudos efectuados junto de pessoas que ganharam prémios do tipo da lotaria e euromilhões, que após um incremento de felicidade associado ao ganho do prémio financeiro, ao fim de poucos meses voltavam aos níveis anteriores de felicidade.
Por outro lado, existem outros estudos junto de pessoas que foram vítimas de acidentes graves que as deixaram parcialmente incapacitadas, paraplégicas, etc. E verificou-se que após o impacto negativo inicial nas suas vidas, também ao fim de alguns meses voltavam a ter o mesmo nível de percepção de felicidade qua possuiam antes do acidente.
Estes estudos são mais uma prova que os factores externos não são relevantes para o seu nível de felicidade, porque de facto a felicidade é parte de si, faz parte da sua natureza essencial. Logo nada do que faça externamente pode acrescentar o que quer que seja.Pode quando muito torná-la mais consciente para si.
Através de um treino assistido pode conectar-se mais conscientemente com a sua essência e verificar que sempre foi feliz e que sempre será feliz. Perceberá que independentemente do que ocorra na sua vida, o mais importante é a forma como reage ao que lhe acontece.
Possui em si todos os recursos, permita-se Ser.
Viva a sua vida em pleno.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Programa Treino da Felicidade

Programa treino da Felicidade

A felicidade faz parte da tua essência e ela é independente das condicionantes externas.
As condicionantes externas são resultado do teu estado interior, a tua realidade espelha o teu interior.
Se sentes que precisas de mudar algo na tua vida, se estás insatisfeita e queres ser mais feliz.
Este programa pode ser uma resposta para ti.
Sendo a felicidade algo que já possuis, ainda que não tenhas consciência disso, ela habita em ti. Se a tua realidade não o demonstra significa que estás desconectada da tua essência.Mas a boa notícia é que podes treinar a manifestação da tua felicidade. Com uma prática continuada, focando-te na felicidade, verás como tudo começa a mudar.E a felicidade começará a ser mais consciente na tua realidade.

Este programa no seu nível base1 é constituido por exercícios semanais enviados por mail e tem uma duração de quatro semanas.
No nível base2 acresce aos mails um feed-back aos resultados que vais obtendo.
No nível base3 terás uma sessão de Happiness Coaching no final do programa.

Se estiveres interessada em saber mais envia um mail para r23.renato@gmail.com

Age, é aqui e agora que tudo acontece.
Celebra a vida.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Normal

O sentido de normalidade que leva a sociedade a julgar os que se desviam do padrão.
O que é ser normal?
Existe de facto tal conceito? Quem define os padrões de normalidade?
Tudo isto está na percepção de cada um, são uma ilusão criada pela mente colectiva e que vai mudando ao sabor dos tempos.
Aquilo que é tido como normal hoje, seria ultrajante hà séculos atrás, mesmo décadas atrás. Logo quem dá o direito a quem quer que seja de julgar os outros por padrões que são tudo menos estáveis, estando em constante mudança.
A sociedade está em constante mudança e vivemos tempos em que essas mudanças se dão a um ritmo elevado. Na realidade todas essas mudanças resultam da forma como vamos percepcionando aquilo que vemos e que sentimos. Mas de facto essa visão é incompleta, não nos dá a visão do todo. Ela é enviesada pela cultura e experiências em que são criadas.
Julgamos as situações em função das memórias que estão enraizadas em nós e quando ocorrem as situações são despoletadas essas memórias que servem de modelo de comparação.
Se em vez disso, nos centrarmos no momento presente, vivendo o agora em total consciência poderiamos ver e sentir as situações pelo que são. Sem necessidade de as julgarmos e mais disponiveis para absorver em plenitude a realidade que vamos criando e observando.
Estariamos a criar espaço para sermos supreendindos pelos acontecimentos, na sua beleza e harmonia. Na perfeição da existência, onde cada peça encaixa perfeitamente e todos são necessários e indispensáveis.
As deficiências existem apenas na nossa limitada percepção do Ser que somos, pois como nos temos como limitados a este corpo e em obdiência a uma mente, que se tem como separada de tudo o resto. Vamos criando barreiras que incrementam essa sensação de separação e desconexão ao todo. Permitindo-se re-conectar com a sua essência, perceberá que somos ilimitados e que somos de facto unos. Não havendo diferenças irreconciliáveis, nem seres descartáveis.
Existe espaço para todos, existe abundância para todos.
Aqui e agora vive a tua vida. Aceita quem és e a realidade que vais criando, procedendo assim crias espaço para que se manifeste na tua realidade a essência do teu Ser.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...