sexta-feira, 29 de maio de 2015

Estás ocupada ou preocupada?


Resultado de imagem para preocupação


Como tens passado os teus dias? Tens estado preocupada ou ocupada?

Estás preocupada quando mergulhas nas histórias que gravitam na tua mente, sejam sobre o passado, sejam sobre o futuro. Ambas resultam apenas em inquietação que desviam a tua atenção do que é essencial. E aquilo que é essencial é aquilo que te ocupa, é aquilo que és em plenitude agora. 

Estar ocupada é estar presente no agora, estar com atenção plena ao que acontece no momento presente, pelo que é, sem apegos, sem desejar que seja outra coisa qualquer. É fazer o que fazes quando fazes e estando atenta ao que fazes, devidamente focada na situação atual.

Ao estar preocupada estás a ocupar a tua atenção antes do tempo com situações que não existem, que são irreais para lá dos teus pensamentos. Seja isso sobre o passado, que já acabou e existe apenas sobre a forma de memória que surge no agora. Ou seja, sobre um futuro que não existe fora da tua mente, pois quando acontecer será sempre no agora e quase sempre é diferente daquilo que havias imaginado.

Aquilo que acreditas ser é aquilo que estás ciente em cada momento, é onde colocas a tua atenção. Onde focas a tua atenção torna-se real para ti, se te focas no passado,estarás a reviver vezes sem conta algo que não existe, estás a massacrar-te com algo que não podes alterar mais e que cada vez que o recordas é diferente do que ocorreu de facto no momento primeiro que originou essa memória.

Por exemplo quando te magoas a dor que sentes é real e ela acaba por passar, já o sofrimento é a história que crias sobre essa dor e sobre o que a originou. E esta história podes carregar com ela por muitos e muitos anos, se te apegares a ela. A dor já terminou há muito tempo, mas o sofrimento que insistes em alimentar, esse permanece colado a ti.

Esse sofrimento mantém-te preocupada, ele afasta a tua atenção do momento presente, que é o único onde acontece a tua vida.

A escolha é tua e podes fazer essa escolha em qualquer momento. Onde colocas a tua atenção depende apenas de ti. Não controlas o que acontece na tua vida, o que acontece ao teu redor, mas controlas sempre a atenção que dispensas ao que te acontece, aquilo que decides fazer com o que te acontece.

Ao estares ocupada por inteiro com a vida que és no agora, descobres que nada te falta, que és completa e perfeita assim como és. Isso não significa que do ponto de vista material tenhas tudo, significa apenas, e neste apenas cabe tudo, que a tua essência é perfeita como é, ela é plena, nada a limita, nada a condiciona.

Ao estares ocupada estás ciente do que surge no agora, e não rejeitas nada, observas o que acontece, seja dentro, seja fora e de que forma isso mexe contigo, de que forma se manifesta em ti. Tudo o que acontece é perfeito que aconteça, pois de outra forma não aconteceria e isso não significa que o sintas como bom para ti. 

As maiores lições surgem das situações de desconforto, as situações que nos tiram do conforto do conhecido. Só evoluis entrando no desconhecido, se fizeres o que sempre fizeste os resultados serão sempre os mesmos.

Assim escolhe estar ocupada abraçando a vida tal como ela é agora, tal como tu és. Ao fazeres isso não significa que nunca mais te vais preocupar, porque isso faz parte da natureza humana. Significa sim que quando acontecer estarás ciente de que acontece e com desapego deixas que parta.


segunda-feira, 25 de maio de 2015

O poder do significado

Resultado de imagem para ti mereces mais




A tua realidade tem apenas o significado que lhe atribuis, é esse significado que lhe concede relevância e poder sobre ti. A forma como escolheres lidar com aquilo que te acontece, dita a qualidade da tua vida e a forma como te vês face ao que tens como sendo a tua vida.

Tu tens muito mais valor do que crês ter e tens muito mais poder do que acreditas ter. Quando estás desligada da tua realidade interna delegas o teu poder nos outros e nas circunstâncias externas. Tornaste numa vítima das circunstâncias, navegas ao sabor dos acontecimentos, dependente da sorte e do azar.

Tu não és uma vítima, mas sim és o motor da tua realidade, esta é um espelho do teu interior. Sejam os acontecimentos agradáveis ou não, aquilo que releva é a forma como escolhas lidar com esses acontecimentos e o modo como reajas dita a qualidade da tua vida.

Tudo o que ocorre na tua vida não é obra do acaso, a questão está no quão consciente disso estás. E para estares mais consciente disso o que podes fazer é usar cada acontecimento para indagar dentro de ti, o que essa situação te quer comunicar.

Tudo é experiência e serve de aprendizagem, se para isso tiveres abertura. 

Por exemplo se alguém te disser que não vales nada, que não tens valor. O que pode acontecer é acreditares no que te dizem e assumir essa crença, deixando que isso se reflita na tua realidade e terás provas como isso é verdadeiro. 

Ou então, perante tal situação, podes escolher ir dentro de ti e verificar de que forma isso pode ser verdade, que aspetos em ti dão "corpo" a essas afirmações, pois se alguém proferiu essas palavras em relação a ti, não foi por acaso.  

A questão não se trata em dar razão a essa pessoa e só porque o disse, aceitar como verdade, nem tão pouco fazer de conta que não foi dito e ignorar tal opinião, rejeitando que seja verdadeira. Porque ela tem sempre algum fundo de verdade, ela espelha em algum nível uma crença tua. 

Tendo abertura de mente, poderás investigar em ti, de que forma isso é verdade em ti e ao tomar consciência disso, elevas o teu poder pessoal sobre a situação, ela não te domina, não te define, nem condiciona a tua realidade a partir do momento em que a possuis. 

Lidando de frente com ela, aprendes e evoluis, de outro modo, se escolheres ignorar, estarás a dar-lhe poder sobre ti e ela voltará com mais força noutras situações para te provar a sua verdade, até que escolhas lidar de frente com ela. E isto é assim para qualquer situação da tua vida.

As coisas em si são neutras, é o significado que lhes atribuímos que determina a relevância que ganham sobre nós, logo sobre a nossa vida.

O poder de atribuir significância às coisas, aos acontecimentos, às pessoas, depende apenas de ti. Mais ninguém decide por ti, a não ser que o permitas. Mudando o significado das coisas mudas a tua realidade.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Mindfulness para principiantes

Resultado de imagem para mindfulness


O Mindfulness, ou atenção plena, é tido de uma forma simplista como uma técnica de meditação e como tal é ensinado. No entanto aquilo que pode ser "ensinado" é o prestar atenção à própria atenção. Treinar a estar ciente do foco da nossa atenção. Quanto mais se pratica mais ciente se fica daquilo que já somos, do quão plenos somos e que nada verdadeiramente nos falta.

Mindfulness é notar aquilo que é como é, sem mais.

E isso não precisa de ser aprendido, é natural em nós. Aquilo que complica é o desfocar da nossa atenção através do apego aos pensamentos que desviam a atenção seja remoendo o passado, seja ansiando o futuro. E no entanto tudo isso ocorre sempre no momento presente, todos esses pensamentos acontecem sempre no agora.

Os pensamentos acontecem em nós, mas são sempre mais "pequenos" do que nós somos.

Através da prática da tua atenção começas a tornar ciente a tua essência e isso acontece à medida que fores estando preparada, ao ritmo que for o mais adequado para ti, nem mais cedo, nem mais tarde, será sempre no momento certo.

Na vida nada acontece por acaso, mas sempre no momento certo e é assim, não porque eu o digo, mas sim porque é o que acontece. E se acontece estás preparada para lidar com isso, seja isso o que for, pareça muito difícil ou não, se acontece tens os recursos internos para lidar com isso.

Como se faz para treinar a atenção?

Aqui ficam algumas dicas:

Faz uma coisa de cada vez. 
Quando estás a fazer algo faz apenas isso e nada mais. Por exemplo quando estiveres a lavar as mãos toma atenção à água caindo nas tuas mãos, que temperatura tem, como ela passa entre os dedos, repara no movimento dos dedos e as sensações que surgem.

Faz uma pausa e observa.
Observa os pensamentos que surgem na tua mente, sejam eles quais forem, apenas observa. Quanto mais observas pode acontecer sensações de desconforto inicialmente. É a resistência da personalidade, essa história que acreditas ser a tua, mas tu és mais que essa história e estando atento reparas quem és.

Estar presente no agora
Apenas o agora existe, tudo o resto são conceitos, são pensamentos que surgem na tua mente e esses pensamentos ocorrem sempre no agora. Ao estar presente podes viver a tua vida, pois mais ninguém a pode viver por ti. Ao estares presente no agora tens o poder de escolher onde colocas a tua atenção e onde colocas a tua atenção torna-se real para ti.

Respira conscientemente
Observa a respiração tal como ela acontece em ti, sem tentar controlar, apenas observando de que forma ela ocorre em ti. É essa respiração mais profunda ou superficial, repara em que parte do corpo sentes a respiração. É no peito, é mais abdominal, observa apenas.

São apenas algumas dicas para começares a praticar a tua atenção e quanto mais treinares mais ciente ficas do quão perfeita és, sendo como és agora.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Tudo muda, tu não mudas.


Resultado de imagem para como se escreve frequencia


A resistência ao que acontece no momento presente na tua vida significa um desperdício da tua energia, significa que escolhes lutar contra aquilo que és. Pois tu és vida, em toda a sua plenitude, nada fica de fora, mesmo o que consideras mau, que preferias que fosse diferente. 

A solução não passa por rejeitar o que consideras como mau, mas sim passa por reconheceres a situação tal como ela é, aprender o que ela te quer ensinar e desse modo amplias a tua consciência ao encontro da tua essência perfeita e feliz.

Este reconhecer não implica resignação, não significa que cruzas os braços e nada fazes, pois as coisas são como são.

A tua própria rejeição àquilo que é, também é passível de ser aceite por ti. Pois ela ocorre também em ti. Logo a ideia não é rejeitar a rejeição e procurar evitar essas situações que te desagradam, antes que aconteçam, mas sim reconhecer, tornar ciente quando ocorrem. Observando as sensações que se manifestam em ti, os pensamentos que resultam de tais situações, tendo sempre presente que nada disso te define, nada disso te limita, a não ser que o permitas.

E esse permitir é apenas uma ideia, uma história de crença, pois em essência nada te limita. Quando abraças o presente tal como ele é ficas livre dos condicionamentos limitantes, pois sabes que nada exterior a ti tem real poder sobre quem és. 

Tudo o que ocorre é experiência, apenas experiência e não importa que seja mau ou bom, pois tudo passa. Tudo é mutável, tudo é um fluxo contínuo de energia vibrando em diferentes frequências. logo mudando a frequência, mudas a experiência. E como fazes isso? Uma das formas é através da meditação.

Praticando meditação elevas o autoconhecimento, elevas a frequência vibracional da tua energia e tudo ganha uma importância relativa em ti. Verdadeiramente a meditação não é uma prática, ela é um encontro com o Ser no momento presente. Aquilo que é praticável é a tua atenção, a atenção que dedicas a ti mesmo para que relembres quem és.

Meditar é assim um momento de pausa na tua história de limitação, na história dessa personalidade que se vê como separada de tudo e todos, que se vê como alguém passando na vida e não como alguém que é essa vida.

Existem várias formas de meditar e cada um poderá encontrar a que mais se adeqúe à sua personalidade, mas em si mesma a meditação não tem de ser algo complicado, que te exija muito esforço. Meditar é algo tão simples como apenas notar a respiração que ocorre em ti, esse sopro de vida que nos sustenta enquanto humanos. 

É algo tão simples como estar atento aos pensamentos, observando-os com desapego, reparando como chegam e partem. Pode ser algo tão simples como notar as emoções que se manifestam em ti ao longo do dia, como elas são variadas. Tal como uma tela de cinema permanece igual, seja qual seja o filme que nela é projetado, tu és assim também. As emoções vão e vem, os pensamentos vão e vem, e no entanto, tu permaneces igual.

És esse espaço de paz e pura beleza, que tudo abraça, que tudo respeita, que tudo aceita, mesmo quando não tens consciência que assim é. Continua sendo como é, pois aquilo que é, é. Não importa as ideias e conceitos que se tenham, nada modifica aquilo que é.

Fica atenta ao agora, recetiva ao que vier, agindo em conformidade, desfrutando em pleno cada pedaço de vida que és. É assim de simples, nem mais, nem menos, simplesmente é. Acredites nisso ou não, experimenta. Fazes isso treinando a tua atenção, quando te apanhares a vaguear pela mente, volta ao presente, ao único momento real, onde vives, que é o agora.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Mindfulness explicado

Resultado de imagem para mindfulness

O Mindfulness ou atenção plena em português, é algo que está nos últimos anos muito em voga, virou moda em muitos setores da sociedade, nomeadamente no mundo corporativo, nas empresas e no entanto não é, em si mesmo, novidade. O mindfulness não é sequer uma atividade que possa ser praticada como tal, no entanto pode-se praticar a perceção do mindfulness, da atenção plena.

O que é então mindfulness?

Basicamente é estar atento ao momento presente, estar consciente daquilo que se manifesta no agora, tal como se manifesta, sem procurar controlar, sem procurar condicionar, mas apenas estando presente. E isso pode ser tudo aquilo que se manifesta, seja algo passivo, seja algo ativo. Nada é excluído, nada fica de fora, mesmo essa ideia de exclusão, de negação do que quer que seja.

Cada momento é único não existem dois momentos iguais e para o vivenciares em pleno, tens de estar presente, de nada serve deslocar a tua atenção para o passado ou ansiar pelo futuro. O passado já terminou e nada podes fazer para o modificar. Podes sim modificar a importância que esse passado tenha na tua vida atual, se te focares em episódios passados, revivendo vezes sem conta o que aconteceu, aquilo que obtens é a ausência de atenção do presente. 

Estando ausente do presente quem é que fica para viver a tua vida, para fazer as escolhas das opções que a vida te dá em cada momento. Ninguém pode viver por ti.

Por outro lado, há quem se foque mais no futuro, quem se preocupe em demasia sobre como serão as coisas, como idealiza que venha a ser essa realidade futura. E no entanto a realidade futura é sempre resultado das ações e opções que se tomam no presente. O futuro é apenas uma ilusão, ele existe apenas sob a forma de pensamento, quando acontecer esse tal "futuro" será sempre um agora e na maioria das vezes diferente do imaginado.

Assim como há muitas pessoas que vagueiam entre os dois extremos, ora divagando no passado, ora suspirando com um futuro idealizado. 

E em que medida o mindfulness pode ajudar nesta situação?

A atenção plena de verdade não afeta diretamente nada disso, se te identificas com alguma das situações descritas acima, seja estando mais centrada no passado, seja mais centrada no futuro. O que a atenção plena te dá é uma consciência de que esses pensamentos ocorrem em ti. Que o teu foco está mais orientando para um ou para o outro. E quanto mais ciente estás mais livre do mesmo te tornas, pois tens a opção de lhe dedicar a atenção que queiras.

Logo o mindfulness, a atenção plena não significa negar que existem essas preocupações em ti, que procures rejeitar esses pensamentos e impedir que aconteçam para depois te sentires melhor. A atenção plena não visa que te sintas melhor, que possas melhorar a tua vida. Ela não tem objetivos para ti, a atenção plena é apenas um foco no presente tal como ele é, sem desejar que seja outra coisa qualquer. 

Fazendo isso os efeitos que isso acarreta é que quanto mais presente estás no agora, mais simples é a tua vida, porque essa é a sua natureza, essa é a tua natureza, pois tu és vida.

A vida é simples, já aquilo que pensas sobre a vida tem tendência a ser complicado e quanto mais centrado nos pensamentos estás, mais tendes a complicar,ou melhor a acreditar que tudo é mais complicado do que é de verdade. 

A atenção plena permite-te desapegar daquilo que acontece e ganhar uma perspetiva mais ampla sobre isso e ter consciência de que possuis todos os recursos necessários para lidar com o que quer que ocorra na tua realidade, pois de outro modo não ocorreria. Esse desapego acontece não por uma ação consciente, mas através desse espaço que a observação do que acontece no agora te permite. 

A atenção plena mostra-te que és maior que os acontecimentos da tua realidade, és esse espaço onde eles acontecem.




sexta-feira, 8 de maio de 2015

My life should be easier

Resultado de imagem para perfect life




If you agree with the title, if you think that your life should be easier, it means that you are absent of the present moment and that you are in struggle with what is. And you know what you are both right and wrong at the same time. Confusing?

You are right, because if you believe that your life should be easier, it is real for you and you will live that reality. You will feel that you don't deserve so much difficulties as you see it. And as you fight back against your reality, what happens is that you are reinforcing that reality that you so much desire to be different.

And at the same time you are wrong, your life is as it is, it shouldn't be different from what is is, because it is as it is. That's it, no more, no less. 

Whenever you distract yourself with what should or shouldn't be, your life still as it is, but you are not living it presently. Your attention is not present in the now, the only moment that is real. All other moments are not real, they exist only as ideas, as thoughts appearing in your mind.

And the point here is not to make those thoughts disappear and replace them for good ones, but to be aware of those thoughts. Be aware of your thought process. You are not limited by your thoughts, unless you allow it. Even that, in essence, you can not limit yourself by those thoughts or anything else.

But as human you can believe to be limited by your thought process. Beliefs are thoughts also. The good news is that as you allow yourself to be limited, you have the power to let go of that limitations and realize what you are for real. 

How you do that?

Just accept yourself as you are. Let be life as it is. Life needs no improvements, it is perfect and simple as it is. And you are it, you are life. Life is not something that happens to you, it is you. At the beginning it may seem difficult, because your relationship with your thoughts are so ingrained in you, that you may feel that you are "killing" yourself, your personality, the person you believe to be.

But it isn't true, this personality is part of you, it happens within you, within the unlimited essence that you are. Be it named the way you feel right for you. The point here is that you are not just this personality you believe to be, and that, makes a great difference in the way you relate with your self and your reality.

Don't believe me, but try it for yourself and you will see the truth. You know better. You know it all, because you are it, this inner intelligence is there to support you, to guide you if you let it. Whenever you are ready, it will be ready too. 

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Como melhorar a tua relação com a realidade e com o que os outros pensam de ti

Resultado de imagem para lidar com a critica

A tua relação com a realidade resulta da tua relação contigo, não esperes que os outros te dêem aquilo que não te dás a ti própria. Se te condicionas ao que os outros pensam sobre ti e como tens de agir por forma a agradar aos outros, senão eles não querem nada contigo. Se te condicionas dessa maneira é isso mesmo que irás viver na tua realidade, pois é nisso em que estás focada.

Na verdade os outros, a esmagadora maioria, não está a pensar em ti, és tu que pensas que eles estão a pensar em ti, que eles estão a julgar-te, a medir tudo o que dizes e fazes. 

Tu és a maior critica de ti mesma, és tu, é essa voz interior que mais te recrimina, que mais diz mal de ti. E a solução não está em calar essa voz, ou fazer de conta que ela não existe, mas sim em observá-la e tomar consciência que ela ocorre em ti, mas não te limita. Tu és muito maior que os pensamentos que ocorrem em ti.

A validação externa, a aprovação das outras pessoas não é algo que necessites, essa aprovação reside apenas em ti. És tu que tens de aprovar quem és e fazes isso aceitando aquilo que és, tal como és. Com tudo aquilo que consideras como bom e tudo o que consideras como defeito.

Aquilo que tens como problemático na tua vida resulta dessa rejeição daquilo que é, desejando que seja outra coisa qualquer diferente do que é. Mas isso não irá acontecer, pois aquilo que é, é, e é perfeito que seja como é.  Tu podes mudar sempre a tua relação com aquilo que é, mas não podes mudar aquilo que é.

Mudando a forma como vês o mundo, logo a forma como te vês, aquilo que vês muda para ti.

A vida é simples, ela é plena, nada lhe falta e tu és isso tudo, tu és assim. Tu és vida. Já o que pensas que és, o que pensas sobre a tua realidade, aquilo que tens como sendo a tua vida, é complexo, é complicado, e é assim por ação do teu pensamento e do teu apego ao mesmo.

Superas esse desconforto que sentes aceitando que não controlas o que as outras pessoas possam pensar sobre ti, mas podes sempre mudar a atenção que dás a esses pensamentos sobre o que os outros possam pensar sobre ti. É a tua atenção que dita o que será vivenciado por ti nesta experiência humana. É isso o livre-arbítrio, a possibilidade de escolher onde colocas a tua atenção e que emoções lhe estão associadas.

Foca a tua atenção naquilo que deveras importa, naquilo que conta verdadeiramente e isso é aquilo que passa dentro de ti, a tua realidade interna. Só aí podes mudar a tua realidade, ou mais corretamente a tua relação com a realidade.

Se focares a atenção em aspetos positivos terás mais coisas positivas para lidar, para observar. Já se a tua escolha for estar focada nos aspetos negativos terás mais do mesmo. Aquilo em que te focas torna-se real para ti e isto é assim porque no universo existem possibilidades infinitas, todas existem em potencial ao mesmo tempo e é a tua atenção que dá "vida" a uma ou outra.

E como costumo dizer em essência nada disso importa, pois continuas sendo perfeita e plena assim como és. Importa no entanto para a qualidade desta tua experiência humana, para a forma como desfrutas no teu dia-a-dia dessa tua personalidade e corpo. Cuida de ti confiando que a tua essência também cuida de ti, se confiares na sua orientação. Essa é uma escolha tua e seja qual for a tua escolha podes sempre escolher de novo, agora.

sábado, 2 de maio de 2015

Momentos cinzentos na tua vida


Resultado de imagem para momentos cinzentos da vida

"Eu não tenho motivos para sorrir neste momento", se esta é a tua sensação, se tudo te parece cinzento, sem esperança que possa melhorar, então este post é para ti. Decerto gostarias de encontrar a formula mágica que tudo resolvesse, que tudo o que te preocupa neste momento cessasse e pudesses encontrar alguma paz e descanso.

Tenho uma boa e uma má noticia para ti, começo pela má e que é, não há formulas mágicas, que tudo resolvam. Esquece isso, deixa de a procurar, não existem.

Agora a boa noticia é, que nada do que ocorra ou penses, sobre ti e a tua situação atual, afeta aquilo que és em essência, e isso é assim neste momento e em todos os momentos. Tudo está bem, aconteça o que acontecer, tudo está bem. Sei que pode parecer que não seja assim, pois aquilo que sentes, acima de tudo aquilo que pensas, mostra-te o contrário.

Se tudo está bem, como podes sentir o que sentes? Como podes sofrer tanto?

Repara que isso são pensamentos que ocorrem em ti e que se manifestam em ti também através das tuas sensações, das tuas emoções, mas eles não te definem, eles não te limitam, a não ser que o permitas. E este permitir é ilusório, pois como te disse nada belisca a tua essência.

E dizes tu, "pois tudo isso é bonito, mas é falado, como eu que eu faço então?"

De um ponto de vista alargado diria que nada tens de fazer, de verdade é esta a resposta, nada tens de fazer. Mas eu sei que não é suficiente essa resposta para quem acredita que está a sofrer e se sente impotente face ao que tem de enfrentar. Assim de um ponto de vista limitado, crendo que te confinas a essa ideia de ti, podemos lidar com qualquer situação e procurar melhorar até estarmos preparados para relembrar quem somos de verdade.

E como podes lidar com a tua realidade atual?

Começa por reconhecer essa realidade tal como ela é para ti, reconhece os factos da tua situação, sem escamotear nada, sem excluir nada. Faz uma lista, escreve num papel tudo e isso será útil para lidares com a situação, é uma forma de descarregares algum do peso que carregas. E conseguir algum distanciamento da situação. 

Este reconhecer da tua situação, este aceitar não implica resignação, mas primeiro tens que a reconhecer para depois agir, pois tu podes agir, tens em ti todos os recursos para lidar com essa situação. E como sei isso? Porque é aquilo que está a acontecer na tua realidade, de outro modo não aconteceria.

Seja qual for a tua situação isso não te define, tu és muito maior do que qualquer situação que ocorra na tua vida. O teu valor não é colocado em causa. As coisas que acontecem servem como chamada de atenção, como um despertar para que olhes para ti, para que relembres quem és e fazes isso olhando para dentro.

Em ti existem todas as respostas que procuras, em vez de te focares nos problemas, pois isso apenas te dará mais problemas, é este o momento para dedicares a tua atenção às soluções. Quanto mais te focas nas soluções, mais soluções surgem, mais possibilidades se tornam conscientes em ti.

É importante que te permitas mais tempo para ti, para observares aquilo que acontece em ti, observando as emoções que se manifestam em ti e as sensações que se produzem no teu corpo. Estando mais ciente de tudo o que ocorre em ti, verificas que és maior que tudo isso, sejam as sensações boas, sejam as menos boas, nenhuma delas define quem és.

Também destaco a confiança. Confia que a vida cuida de ti, ela dá-te o que é o melhor para ti, para que despertes e relembres quem és. Isso pode não ser a interpretação que faças no momento presente, pois quando estás em baixo, tudo parece mais difícil, tudo parece complicado, sentes-te uma vítima da vida e deixas de acreditar que possas ser feliz.

Confiando, ainda que não tenhas motivo para isso, cria espaço em ti para que entre a luz da esperança e começarás, se estiveres recetivo e atento, a reparar nos sinais que a vida te dá e que te orientam no caminho certo. 

Mais do que te pedir que acredites nisto que acabas de ler, digo-te para experimentares por ti, Experimenta com vontade, com confiança na vida que és e depois tira as tuas conclusões. Os momentos cinzentos também são parte da paleta da vida, mas fazem parte do conjunto múltiplo de cores que dão brilho a essa vida.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...