segunda-feira, 11 de junho de 2018

O confronto com a realidade



A realidade é como é e nada podes fazer para mudar isso, aquilo que depende apenas de ti e de mais ninguém, é a forma como lidas com a realidade, é a forma como a percecionas. E é aqui que reside o quão feliz ou infeliz te irás sentir, o quão fácil ou difícil te parecerá a realidade que te é dada a viver.

Existem tantas realidades quanto o número de pessoas que existem, na verdade são versões limitadas da realidade e é isto que fará toda a diferença para ti, quanto mais ciente disto estiveres mais em fluxo com a vida estarás e mais simples se torna a tua realidade.

De nada serve entrares em confronto com os demais só porque vêem a realidade de modo diverso ao teu. É na defesa da sua  versão do que é a realidade que surgem os maiores confrontos da humanidade e também os mais pequenos. E como seria mais simples reconhecer que ninguém possui a noção da real dimensão da realidade e aquilo que para um é verdade pode ser diferente para um outro, sem que isso signifique que uma pessoa seja melhor que a outra por causa disso.

A regra base essencial é o respeito pela vida, o direito à vida e que a liberdade de cada um não implica diminuir a liberdade de outro. 

Havendo respeito, só temos a ganhar enquanto humanos tendo a abertura para ver a realidade de acordo com as diferentes perspectivas de outros seres humanos e no final poderemos ficar mais ricos, mais esclarecidos sobre o que gostamos mais ou menos, sem perder a liberdade de manter a nossa visão da realidade.

A realidade sendo como é abarca todas as versões , todas as diferentes perceções que os humanos criam sobre ela. Ninguém é excluído, ninguém fica de fora só porque tem uma visão da realidade que seja muito fora do que seja mais comummente aceite. 

Nada acontece por acaso, se acontece é perfeito que aconteça de outro modo não aconteceria e como tal de nada serve resistirmos contra aquilo que a realidade nos presenteia. 

Isso no entanto não implica que tenhamos de aceitar passivamente tudo o que acontece, apenas significa que se acontece existem motivos para que aconteça e que se tivermos a abertura para aprender com o que acontece, se tivermos abertura para reconhecer o que nos quer comunicar iremos elevar o nosso nível de consciência e desse modo mais em fluxo com a vida que somos.

E por vezes resistir ao que acontece é aquilo que é suposto que façamos e é assim para que possamos ir ao encontro daquilo que existe em nós, para que possamos relembrar o quão forte já somos e não sabíamos que éramos até a realidade nos fazer relembrar isso mesmo.

Sempre que escolheres entrar em guerra com a realidade, com aquilo que é, fica preparado para perder em cem por cento das vezes, porque nada pode mudar aquilo que é. Aquilo que podes mudar sempre que quiseres é a tua interpretação da realidade. 

É a tua versão da realidade que pode ser modificada e não a realidade.



segunda-feira, 21 de maio de 2018

Cuida melhor do teu presente



A realidade que nos é dada a viver tem os seus altos e baixos naquilo que é a nossa perceção dessa mesma realidade. Pois aquilo que nós experienciamos como realidade é apenas a nossa versão de realidade e não a realidade como ela é de facto. Isso resulta assim porque nós não percecionamos a totalidade da realidade mas apenas uma parte limitada da mesma, se tivéssemos a possibilidade de percecionar o todo perceberíamos que tudo flui como deve, que tudo acontece como tem de acontecer e no momento certo para acontecer.

No entanto nós não temos essa possibilidade, de um ponto de vista humano, de percecionar o todo e o que daí resulta é que dentro da perceção limitada da realidade que temos podemos escolher ver aquilo em que nos focamos, ou seja, se procurar o bem é isso que verá, se procurar o mal, então é isso que verá.

A realidade dá-nos sempre razão, tudo aquilo em que acreditamos e  vibramos em sintonia torna-se aquilo que constrói a realidade que experienciamos. Se acreditarmos que as pessoas são todas más, umas falsas, então é esse tipo de pessoas que atrairemos na nossa realidade para nos espelhar isso mesmo e nos fazer lidar com isso, aprender com isso e se o permitirmos crescer com isso.

Se não o fizermos estaremos a desperdiçar e oportunidade de crescimento, de tomada de consciência, resultando daí uma crescente vitimização face às circunstâncias e uma sensação de impotência para lidar com as situações que serão de crescente dificuldade para que possamos despertar para a realidade.

Se relativamente ao que percecionamos como bom é pacifico aceitar o que acontece, já quanto ao que percecionamos como menos bom ou mau, aí já tendemos a rejeitar tais situações, tendemos a evitar a todo o custo tudo aquilo que nos causa desconforto, que nos causa sensações negativas. E no entanto aquilo a que resistimos persiste, ganha poder sobre nós porque para rejeitar algo requer a nossa atenção, requer o dispêndio da nossa energia.

Na procura de evitar tais situações de desconforto tentamos controlar o que acontece, tentamos controlar o comportamento das pessoas que fazem parte da nossa realidade para que façam aquilo que achamos que é o melhor para elas e verdadeiramente aquilo que achamos que é o melhor para nós. Isto para não ter que lidar com o desconhecido, para não ter que lidar com o desconforto e a frustração das coisas serem diferentes daquilo que desejaríamos.

O caminho é o da aceitação e aceitar significa reconhecer aquilo que é tal como é. A aceitação não implica inação, não implica desistir porque se está tudo definido, se está tudo bem como está então nada há a fazer da nossa parte. Isso não é aceitação, isso é negação. Aceitar é abraçar a realidade em toda a sua plenitude, implicando isso todas as imperfeições que percecionamos de um ponto de vista limitado e estar em paz com isso.

Por vezes enquanto humanos não gostamos do que acontece ao nosso redor, não gostamos de certas pessoas, de certos comportamentos e no entanto se tivermos a abertura para aceitar aquilo que é em vez de rejeitar sentir o desconforto, sentir a dor que surge, iremos descobrir facetas em nós até aí adormecidas, iremos descobrir o quão forte somos e desconhecíamos ser.

Por vezes é o nosso comportamento que desagrada aos outros e isso também é aprendizagem, quer para nós, quer para essas pessoas, pois nada acontece por acaso e se acontece, é perfeito que aconteça. No final das contas tudo está bem, tudo acaba em bem, passe o que passe a essência do que somos continua sendo perfeita como é, nada a pode diminuir ou beliscar.

Desfruta em pleno do momento presente, vai dentro de ti e sente o que tens de sentir e partilha o teu melhor onde quer que estejas e tudo o resto encontra o seu lugar como deve, como tem de ser. Acredite nisso ou não, nada altera aquilo que é.




sexta-feira, 4 de maio de 2018

A resposta ao medo


O medo faz parte da realidade humana, é algo que não podes evitar, a alternativa de nunca sentir medo não existe. O que importa de verdade é o que fazes perante o medo, perante as situações que te metem medo. E aquilo que tu fazes é o que de real impacta em ti. É a tua ação perante o medo que dita que poder lhe concedes sobre ti e a tua realidade.

Em face ao medo podes escolher fugir, evitar confrontar-te com ele e no entanto o resultado disso será uma poder crescente dessas situações geradoras de medo sobre ti, por muito que procures evitar tais situações a vida dar-te-à mais situações e cada vez mais intensas até que aprendas o que tens de aprender com tais situações.

A outra alternativa e aquela que é mais tua "amiga", é enfrentar essas situações, geradoras de medo, de cabeça erguida, disponível para aprender o que tem para ensinar e quanto mais fizeres isso, aquilo que irás constatar ao enfrentar tais situações é que afinal aquilo que parecia tão complicado, tão gerador de medo, não é assim tão complicado.

Irás descobrir que és muito mais forte do que crias ser, que tens muito mais recursos internos do que aqueles que crias ter e isso torna-te mais consciente daquilo que é a tua verdadeira essência. Torna-te mais ciente de que de verdade a vida nada tem contra ti, que ela não conspira contra ti e até aquilo que julgavas que existia só para complicar a tua vida, na verdade existe para te ajudar.

O medo é na realidade um pedido de amor, um apelo ao amor-próprio, para que relembres a perfeição da tua essência e que passe o que passe, por mais difícil que seja, nada belisca a essência do que és. Nada pode diminuir o amor essência que és. Tendo isso ciente não significa que nunca mais tenhas de enfrentar dificuldades, que nunca mais enfrentes situações que te façam sentir medo, a diferença está no impacto que causa em ti, e na tua disponibilidade para não renegar nada à partida.

Ficas mais livre para viver a vida tal como ela é, tal como ela surge e mais capaz para a desfrutar em pleno, sabendo que nada ocorre para o teu mal, que por muito difíceis sejam as circunstâncias elas trazem algo de positivo para ti e que a sua duração é passageira, nada é permanente na realidade humana a não ser a essência que suporta essa realidade.

Quero realçar que enfrentar o medo não implica agir de modo irracional, como por exemplo saltar de uma ponte ou para a frente de uma carro na autoestrada por achares que deves enfrentar o medo. Aquilo que é dito é naquelas situações em que o medo surge e não sabes explicar porquê, é naquelas situações como aceitar um novo emprego, ou entrar numa nova relação, etc. É nestas que situações em que em vez de evitar passar por elas por causa do medo, deves permitir-te passar por tais situações e ver o que elas te trazem, o que elas te querem ensinar.

Lembra-te que tu és amor e que esse amor nada o pode diminuir, esse amor é mais forte que qualquer medo que possas sentir, ele é o sustento do teu existir. Sempre que duvidares escolhe o amor, deixa que ele te mostre o caminho, que ele te guie e proteja pois passe o que passe esse amor estará sempre onde estiveres.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Como lidar com pessoas tóxicas


O que são pessoas tóxicas? São aquelas pessoas que de uma forma ou de outra interferem negativamente no nosso comportamento, que mexem connosco. E elas fazem parte das nossas vidas e é suposto, em maior ou menor grau, que façam parte da nossa vida. Aquilo que importa é o que fazemos com elas, com o comportamento delas.

Então como poderemos lidar com as pessoas que consideramos como tóxicas. Aqui ficam algumas dicas:

Tomar consciência da sua existência

É importante identificar as pessoas que são tóxicas para nós de uma forma recorrente, pois momentaneamente qualquer pessoa da nossa realidade pode demonstrar um comportamento que nos afecta negativamente em função de determinadas circunstâncias, já quando ocorre de uma forma persistente, aí a incompatibilidade é maior. Só tomando consciência dessas pessoas que mais carga negativa projetam em nós é que podemos tomar medidas para nos defendermos.


Aprender com essas pessoas

Nada ocorre por acaso na nossa vida e as pessoas que temos como tóxicas não são exceção, elas surgem na nossa vida para nos ajudar a elevar o nosso nível de consciência, para que possamos nos conhecer melhor e relembrar que somos muito mais fortes do que cremos ser. Só enfrentando dificuldades saberemos o quão forte somos aos suplantá-las. Se rejeitarmos à partida essas pessoas, se fecharmos a janela de oportunidade de crescimento que nos trazem poderemos ser confrontados como situações mais "pesadas" para aprender a lição que temos de aprender. Por isso naquilo que somos em essência essas pessoas acabam por ser nossas amigas, elas chamam a nossa atenção para aspectos nossos que viemos trabalhar e superar. 


Tudo tem a relevância que atribuis 

As coisas tem a importância que lhe atribuímos, é a nossa atenção e reação ao que nos acontece que determina os efeitos dessas coisas na nossa realidade. Nós vemos as coisas de acordo com a nossa interpretação daquilo que acontece e não as coisas como elas são de facto. Assim se passa com as pessoas que consideramos como tóxicas, elas tem poder sobre nós pela forma como reagimos, pela forma como deixamos que impactem em nós e condicionem a nossa realidade, condicionem a forma como vivemos a vida, seja por muito ou pouco tempo. Há pessoas tóxicas que permanecem pouco tempo na nossa vida e outras que nos acompanham ao longo dos anos, a exemplo de alguns familiares.  Mas és tu quem decide o poder de influência que essas pessoas tem sobre ti e a boa notícia é que seja qual for o passado podes escolher agora conceder uma importância diferente a essas pessoas e aprender com isso.

Comportamento gera comportamento

Se não te agrada o comportamento de certas pessoas, as pessoas que temos como tóxicas, se reagires de modo igual a elas por forma a que tenham o que "merecem" estarás a ser pior que elas, pois se criticas e fazes o mesmo isso só te diminui, não te enaltece. Cada um dá o que tem, se não te agrada o comportamento de outros responde com aquilo que tens. Responde com aquilo que és, fazendo o bem terás mais do mesmo. Se responderes na mesma moeda estarás a diminuir o teu nível de consciência, a baixar a tua frequência de vibração energética e a criar condições para que situações menos agradáveis possam ocorrer. O comportamento das outras pessoas fala por elas, o teu fala por ti e esse és tu quem decide em todas ocasiões qual queres que seja esse comportamento.



Deixe de aceitar o seu comportamento como um ataque pessoal

Há pessoas tóxicas porque estão de mal com a vida, elas passam por situações nas suas experiências pessoais que as torna mais amargas, mais negativas, mais amarguradas e desse modo procuram, muita das vezes inconscientemente, descarregar nos demais toda a frustração que sentem, toda a insatisfação por não saberem lidar com o que estão a sentir e o que se passa nas suas vidas, assumindo  o papel de vítimas das circunstâncias ignorando o seu poder criador da situação em que se vêem envolvidas e por isso procuram alívio arrastando outras pessoas para as mesmas situações, para que as "ajudem" a carregar tal fardo. Se aceitares esse "convite" escolhes diminuir quem és e a qualidade da tua experiência humana e fazes isso porque vês como um ataque pessoal o comportamento delas face a ti e na resposta a esses comportamentos podes perder-te e sofrer no processo. Logo deixando de aceitar o que se passa como sendo um ataque contra ti e sim como sendo uma chamada de atenção da vida para que olhes para ti, para que aprendas o que te quer ensinar e confiar na vida para que te inspire a tomar as decisões certas e fluir com a vida, verás como tudo fica bem, como tudo está bem.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

How to accomplish real change



The human being is unsettled, it is always looking for the next thing and this drives a desire for change. But change will never come if its just a way to run away from dealing with what's happening in your life and you don't like it. 

Real change can only occur from within, from a place of connection with your reality. Nothing happens for no reason and the way you choose to deal with it will determine how your life unfolds moment by moment. If something happens and you don't like it  and choose to ignore it, the thing is that it will not go away. 

It will influence your reality until you learn what it is supposed to learn from it and evolve from it. If you deny it, if you choose to look the other way, reality will force it onto you until you have no choice but to deal with it.

In order for change occur you have first to be aware of the reality of the thing you wish to change. You have to acknowledge  its full extent, the way it impacts in you and then you can do something about it.

And that may imply to deal with things you dislike, with thing you wish never existed in you or in your reality, but if its there it is okay, it is supposed to exist, otherwise it wouldn't exist. Things have the power over you that you allow them. The more you resist something, the more power over you it will have.

Choosing to deal face-to-face with whatever is bothering you is the shortest fastest way to overcome it. Only you have real power over what can derail you or not. Things are what you allow them to be for you, reality is simple being as it is and only you can complicate it. You are your worse enemy when you allow disconnection to take place in you.

Your essence is perfect as it is, it embraces whatever happens in your reality your essence does not judges what happens is just accepts it because nothing can damage it, nothing can diminish its perfectness.

Real change occurs whenever you remember who you really are, whenever you embrace your inner life and allow your love to be shared wherever you go. By changing the way you see yourself your reality will mirror that, it will give you proofs of that change of perception. People will come and go in your life in order for you to learn from them and also to teach them and they will stay as much as needed to allow so.

Being willing to accept reality as it is, to accept yourself as you really are unconditionally you will realize that change, real change does not need to occur because there is nothing needed to be changed except the way you perceive yourself and your role in your reality.




quinta-feira, 5 de abril de 2018

Muda o teu mundo


A realidade pode ser bastante desafiante e colocar-te à prova em diversas situações e por vezes podes dar por ti a achar que ela está contra ti, que o mundo conspira contra ti e que nada te sai bem, nada acontece a teu favor. É normal isso acontecer e no entanto é o que fazes dessas situações que verdadeiramente conta para o teu bem-estar e evolução.

Perante tais momentos podes assumir o papel de vítima e deixar de fazer o que tens de fazer porque acreditas que nada do que faças poder mudar o que quer que seja. Ou então podes assumir o papel de líder da tua vida e aprender com o que de menos bom, na tua perspectiva, acontece e desse modo descobrir em ti forças que desconhecias ter.

Seja qual for a tua escolha em cada momento a boa notícia é que nada é definitivo, podes sempre escolher de novo e fazer diferente, escolher um caminho diferente que ainda que se possa revelar como não sendo melhor, pelo menos contribuirá para o teu crescimento enquanto ser humano.

Nada acontece por acaso, as pessoas que surgem na tua vida, seja por muito ou pouco tempo, surgem porque trazem algo para te ensinar e terão algo a aprender contigo. E sim, de verdade aquelas pessoas que mais contribuem para o teu crescimento não são as que gostas mais e que melhor te tratam e sim aquelas que menos gostas.

As pessoas que menos gostas são as que espelham aspectos teus que vens ignorando mas que residem em ti e é através do comportamento e ações dessas pessoas para contigo que esse lado teu surge à superfície e prende a tua atenção. Isto se não colocares a culpa plena nessas pessoas e assumas a tua quota parte na situação.

O mais fácil é culpá-las e desresponsabilizar-te das situações e desse modo perderes uma boa oportunidade de te conhecer melhor e integrar esses aspectos do teu lado sombra que se deixados de lado, deixados de serem lidados de frente continuarão a influenciar a tua realidade de uma forma solta sem a tua atenção.

O lado sombra só tem o poder que lhe concedes através da tua ignorância ou reconhecimento do mesmo. Quanto mais depressa o reconheceres como existente, como sendo parte de ti, mais depressa o poderás integrar, aprender com ele e deixar de estar sob o jugo da sua influência descontrolada.

O que isso te dará é uma visão nova da realidade menos sombria, menos sujeita ao papel de vítima das circunstâncias  e mais ao leme da tua realidade, mais recetivo ao que a vida te dá e mais grato pela experiência humana que te é dada a viver.

A vida cuida de ti sempre, em todas as situações, mesmo aquelas que julgas como más, como castigadoras, porque de facto para aquilo que és em essência, nada o pode beliscar, nada te pode diminuir.  Tendo isto em consciência ficas mais livre para desfrutar da realidade tal como ela é e deixarás de tentar controlar tudo o que acontece na tua realidade, sejam os comportamentos dos outros, sejam os resultados que acontecem.

Aquilo que controlas sempre, aquilo que é tua exclusiva responsabilidade é o que fazes com a tua realidade, a perceção que fazes, as ações que tomas e mudando aquilo que é teu para mudar, ou seja, as tuas ações e atitudes, verás como isso causa impacto na tua realidade e logo nos comportamentos dos outros. 

Mudando a forma como olhas para o mundo o mundo muda para ti.

sexta-feira, 23 de março de 2018

Superar a insatisfação





A insatisfação e a ambição fazem parte da natureza humana, ambas contribuem para uma busca de melhoria contínua daquilo que são as condições de vivência dos seres humanos e quando bem direccionadas levam ao melhoramento e ao progresso das vidas humanas. No entanto essa mesma insatisfação pode induzir sofrimento desnecessário e desvalorização do quanto cada um já alcançou e do que já é.

A evolução é positiva quando integradora do que existe, quando valoriza devidamente o presente e desse modo encontra espaço para a introdução de melhorias ou novas realidades. Pois existem possibilidades infinitas no universo prontas a serem "descobertas" pela inteligência humana quando esta estiver preparada para as abraçar e desfrutar em pleno.

Quando a insatisfação é resultado da rejeição do que é neste momento isso gerará mais insatisfação que não encontra saciedade. Pois cada vez que alcança o objetivo desejado não o desfruta plenamente porque um novo se revela e leva a sua atenção.

O que fazer então perante a insatisfação que não encontra resposta imediata?

Em primeiro lugar observe essa insatisfação, como se revela ela, de que forma se manifesta no seu corpo e na sua mente? Que efeitos produz na sua realidade e vivências? 

Quanto mais ciente da insatisfação está, menos dependente dos seus efeitos está e isso dá-lhe poder de decidir o que fazer, que relevância permite que tenha na sua realidade e na forma como vive o seu dia-a-dia. Se nada fizer essa insatisfação ganha relevância ocupando cada vez mais espaço na sua atenção retirando paulatinamente o prazer das suas atividades diárias. Podendo resultar, se nada for feito, em depressão.

Isso não implica que não possa ter momentos de insatisfação, pois as coisas nem sempre se passam como gostaríamos que passassem e isso é muita das vezes positivo para nós, levando-nos a deixar de ser tão letárgicos, a deixar de nos embrenhar nas rotinas e a procurar fazer diferente com vista a aumentar o autoconhecimento.

Já se a insatisfação for crescente e se releve desde as mínimas coisas aí já começa a ter efeitos nefastos naquilo que é a capacidade de desfrutar desta nossa vivência humana.

Depois de observar a insatisfação e o modo como se manifesta em si tome consciência que ela ocorre em si mas não o limita, ela não define a essência do que é. Logo em vez de rejeitar essa insatisfação aceite-a como ela é, sem resistência e verá como ela perde a força que antes parecia ter sobre si e repara que de facto nada de verdadeiramente mau lhe acontece, a não ser a sua mente criando cenários catastróficos que depois, normalmente, não se revelam reais.

Normalmente a insatisfação é resultado da não realização daquilo que acreditava ser o melhor para si, são os cenários que julgamos que devem ocorrer e que depois ocorrem de modo de diferente do esperado e desejado por nós que induzem a nossa insatisfação, seja através do que não alcançamos, seja pelo não controlo dos comportamentos das demais pessoas que fazem parte da nossa realidade.

Aceite que assim é, reconheça quando acontece desse modo e depois em consciência, conectado com o momento presente aja de forma positiva tendo em conta o seu melhor e o melhor dos outros. Se cuidar de tratar dos demais como deseja ser tratado a possibilidade de resultar insatisfeito será muito menor.

Deixando de se embrenhar em pleno com a insatisfação verá que aquilo que acreditava que lhe faltava já existem em si, ou seja, aquilo que é verdadeiramente relevante e que vai muito além do meramente material, já existe em si, é parte da essência do que é. Cuidando de se conhecer melhor verá que de facto nada lhe falta.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...